sábado, 21 de fevereiro de 2009

Como manter uma linhagem de Guppies



Manter por muito tempo uma linhagem de guppies envolve vários procedimentos básicos que precisam ser entendidos para alcançar os resultados desejados. Estes incluem o seguinte:
selecionando apropriados reprodutores;
comprando e adquirindo suprimentos de boa qualidade;
mantendo cuidados básicos de manutenção;
técnicas de alimentação;
selecionamento apropriado;
ter conhecimentos básicos de genética;
manter registros dos seus métodos de criação.



Antes de você adquirir seus reprodutores para sua criação, decida que linhagem ou linhagens você deseja criar ou tem espaço para manter. Você precisa escolher um criador de confiança que mantenha só linhagens de qualidade nas cores que você gosta. O custo pode ser alto para a aquisição, mas o investimento valerá bem seu esforço. A linhagem deverá ser estável, raça pura e que tenha estabilização (homozigoto) genética; i.e.. a maioria dos irmãos cresce e se torna igual aos pais.

Os reprodutores podem ser colocados em aquarios de 20 ou 10 litros, limpos e equipados com filtro de esponja e alguma forma de refúgio para as crias escaparem dos pais. A maioria dos criadores mantém suas linhagens por criação em linha (line breeding). Isto consiste em dois ou mais conjuntos de reprodutores relacionados, com um ou dois machos com duas ou mais fêmeas por conjunto. A progênie de cada pai é mantida separada como uma linha dentro da mesma linhagem para manter a genealogia, mantenha registro dos irmãos e controle de cruzamentos. Faça frequentes mestiçagens entre as linhas para manter a qualidade da linhagem. Quando comprar um trio, peça as fêmeas de linhas diferentes. Eu prefiro que o macho seja da linha de exposição ou da linha que mostra a maioria das características masculinas desejadas. Deste modo eu posso observar e posso registrar quais as melhores características que a linhagem deveria ter. Os registos para seu controle, deve começar com o nome da linhagem, fonte, idade, data de acasalamento e outra informação pertinente, que são registadas num caderno somente para este propósito. Identifique cada fêmea como linha "A" ou " linha ""B". Marque cada aquarios de alevinos. Voce deverá ter de 6 a 10 aquarios por linhagem de guppy. Note a qualidade de cada grupo e só mantendo 2 barrigadas de cada fêmea ou você vai ficar sem espaço. Etiquete os grupos de alevinos da geração seguinte como F1, F2, etc., data de nascimento e número de grupo, I, II, III e assim por diante.

Utilize técnicas de alimentação, como náuplios de artemia vivos diáriamente, junto com uma variedade de comidas em flocos de alta qualidade também é um fator decisivo para seu sucesso. Para o crescimento dos alevinos, esses precisam ser alimentados tão frequentemente quanto possível para que o seu potencial apareça rapido e totalmente.



Cuidados básicos de manutenção envolvem trocas de água semanais e selecionamento de peixes indesejáveis e que se mova os peixes em crescimento para aquários maiores. A maioria das fêmeas devem ser separadas do resto do grupo para que os machos tenham espaço para crescer. Eu mantenho várias fêmeas com os machos para ter a toda hora fêmeas para o caso de um desastre. As crias novas são separadas a aproximadamente 4 meses de idade (dependendo da linhagem). Os reprodutores mais velhos podem ser postos à disposição neste momento, ou podem ser usados para backcrossing se necessário. Um bom programa de criação envolve várias combinações de linhas de criação inbreeding e ocasionais outcrossing.



As técnicas de criação específicas que nós usamos para manter ou melhorar uma linhagem de guppies varia de criador para criador e é também dependente da linhagem, mas a base de todos os fundamentos da criação seguem os seguintes princípios gerais: {In breeding} {line-breeding} {out-crossing.}

Cada um dos métodos anteriores de criação é comumente usado por criadores e pode ser visto abaixo:

Inbreeding:
Este é o método pelo qual um criador tenta purificar sua linhagem de guppy. Isto significa que todos os irmãos tendem a parecer com os pais (bons peixes são desenvolvidos deste modo). Quando executando este método, geralmente cruza-se irmão com irmã (irmão-irmão), filho ou filha com mãe ou pai (backcrossing), ou irmão com tia / tio. O melhor método vai depender de suas características de linhagem (genéticas) e a qualidade das características que eles possuem. Os métodos de backcross tendem a purificar a linhagem e o jogo de características genéticas, você tem que ser extremamente cuidadoso para que sua linhagem possua as características desejadas e que o mais rígido inbreeding não concentre tambem as características não desejadas. Ao escolher reprodutores, tenha muito cuidado e observe bem sua escolha dos pais. Ou escolha tamanho, formato ou cor; formato por exemplo (qualquer uma das características genéticas favoráveis cuidam do alelo junto em sua linhagem). Não use pais com falhas em cor e formato ao criar com essa caracteristica particular. O tamanho do guppy tende ser perdido quando fizer inbreeding com parentesco perto, então, para criar peixes grandes, não faça inbreed perto. Use método Tia / Tio para conseguir tamanho de linha. Este método é considerado o mais adiantado metodo saído do inbreeding. Sempre use pelo menos dois métodos para manter linhas (eu estou falando linhas, não linhagens), especialmente com linhagens que são puras porque você pode perder tamanho ou cor boa se você escolhe os pais errados ou o método errado de cruzamento. A genética tende a ser por natureza relativamente instável e constantemente mudando minuto a minuto, grandes mudanças que reflitam mudanças ao ambiente, como o uso improprio de reprodutores é uma das mais influentes. Na natureza os pais são sempre os mais fortes e férteis da linhagem. Os pais mais fracos e os estereis se extinguirão. As características fortes e férteis são as mais queridas mas elas normalmente não vêm com o outro fator desejável como características de formato, tamanho e cor, como a maioria das que nós temos artificialmente concentrado em nossas linhas de show guppy. Se o seu método escolhido está se desviando de seus objetivos primários, seja astuto bastante em suas observações para pegar o problema cedo e fazer os ajustes necessários para seu programa de criação. Sempre mantenha focalizado sua meta ou o resultado fim desejado. Não use inbreeding como o método exclusivo de linhagem ou manutenção de linha! Se sua linha está se desviando dos seus objetivos fixados, você pode estar escolhendo pais errados. Nesse caso, um backcrossing pode ser necessário para re-injetar as caracteristicas genéticas desejáveis perdidas em uma linha, mas possivelmente ainda existente na outra. Mantenha registros (ambos mental e escrito) mas especialmente você precisa ser mentalmente observante.

Line Breeding:
O princípio de inbreeding pode ser usado para manter linhas de uma certa cor de linhagem. Você sempre deveria pelo menos tentar manter duas linhas da mesma linhagem relacionadas mas criadas com características diferentes, assim eles também não parecem muito ser a mesma linha. Você pode usar os métodos anteriores de criação descritos para manter linhas de cor para tamanho, formato, cor, fertilidade, robustez, comportamento, variações de cores etc. Sempre se lembre das características mais difíceis para fixar ou manter em uma linhagem, que não é tamanho, como comumente mal entendido por muitos hobistas que cruzam somente os guppies maiores por muito tempo, mas principalmente formato e cor. Note como formato é importante ! Se você perde uma característica difícil, para conseguir fixar isto pode atrasar seu progresso por muitas gerações. A idéia de manter duas ou mais linhas separadas, mas linhas relacionadas, tem 2 motivos: 1) você pode espalhar seu código genético 'características de egg' em mais de uma cesta e isso torna mais facil de manter uma linhagem. 2) você pode cruzar as linhas para misturar o relacionado genético e produzir maiores semi-hibridos de show que podem ainda ser usados como estoque. É extremamente difícil de manter todas as características desejáveis em um peixe, enquanto que remover as caracteristicas indesejaveis (nenhum peixe é perfeito), é o modo mais seguro para manter e executar melhorias sistemáticas calculadas. Ao cruzar estas linhas relacionadas, você pode potencialmente obter nascimentos de alevinos que podem ser usados para melhorar uma ou todas suas linhas de criação. Isto é como você mantém linhas de cruzamento que foram por muito tempo cruzadas. Manter linhas separadas pode melhorar muitos aspectos de uma linhagem de cor; por exemplo padrões, simetria, injeção de novas cores de fundo em caudas bicolores, aumentando a densidade / intensidade de cores do corpo meio preto(HB), fertilidade crescente, formato de caudal/dorsal & tamanho e fixando melhor a forma do corpo. Em linhagens com gotejamentos de cores caudais como HBAOC, HBYellow, HBPastels que não pode competir com vencedores de espetáculos, você pode remover o gotejamento de cores por escolha cuidadosa de pais, ou gradualmente limpando a linhagem em etapas.

Outcrossing:
Hobistas novatos, sem a ajuda de criadores experientes, nunca deveriam tentar outcrossing(cruzamentos não relacionados). Como DR Alderson(famoso criador americano de guppies) declarou " é como jogar Roleta russa com sua linhagem ". Linhas deveriam ser cruzadas por várias gerações antes de cruzar e isto variará com a linhagem. Por exemplo, minha linhagem preta não foi obtida como peixe de espetáculo mas com alguns problemas e teve que ser corrigido. Eu comecei com um outcross para criar a nova linhagem. A linhagem teve que ser cruzada cuidadosamente por pelo menos por 5-8 gerações antes de eu pudesse fazer out-cross novamente ou eu seguramente teria terminado com híbridos sem valor. Muitos peixes tiveram que ser selecionados e os reprodutores tiveram que ser organizados cuidadosamente com a linhagem nova para nossa criação. Eu tenho que declarar aqui que as linhas estabilizadas não devem ou necessitam ser cruzadas por outcross , quando você as obtiver de criadores de confiança. Estas linhagens são geralmente trabalhadas por muitos anos pelo criador e tem sua genética já para uma linhagem boa ,assim só se precisa de métodos de criação em linha para que ela se mantenha por bastante tempo. Mantenha registros sobre as gerações e pergunte sobre o que você precisa fazer para manter o peixe que você obteve dele. Eles saberão melhor. Não vá tentar fazer sua própria linhagem perdendo o trabalho duro de outra pessoa! Como DR Chang falaria para um criador novato: Não vá tentar re-inventar a roda ". Tendo declarado o anterior, outcrossing pode ser muito interessante e recompensador se corretamente feito. Este método é usado para "saltar " sua linhagem para produzir grandes hidridos de exposição ou introduzir sangue " genético " novo em suas linhas de cruzamento. Ao fazer outcrossing a pessoa deve estar atento a algumas coisas. As chances de um resultado favorável normalmente é de 10-20% . Você precisa usar linhagens compatíveis( voce precisa ter conhecimento sobre o que são linhagens compativeis) para obter resultados nas gerações F1 ou F2. DR Alderson já escreveu sobre cruzamentos compatíveis, assim não é necessário que eu refaça.(colocarei na nossa Home Page tambem o trabalho do Dr Anderson traduzido) Sempre se lembre que quando fizer outcrossing você tem que ter um objetivo antes de escolher linhagens para cruzar entre si. Nunca saia muito da linhagem genetica original que você está tentando melhorar. Depois do cruzamento inicial, você deve avaliar imediatamente nos próximos 3-6 meses se os resultados foram favoráveis, como aparecerem sinais novos favoráveis como taxa de crescimento, atividade, forma de cor e tamanho. Então você precisa escolher os pais certos para executar o backcross para a linhagem de guppies original que você estava tentando melhorar. Se esta indo na direção de hibridos grandes de show então seus objetivos deveriam ser conhecidos na primeira geração. Faça backcross para ambos os sexos se possível, pois você não sabe qual resultado será melhor. Se ambos backcrosses funcionaram bem você pode começar com linhas novas para sua linhagem original. Sempre mantenha a linhagem original descruzada para pelo menos duas ou mais gerações durante suas experiências. Você sempre deveria tentar compartilhar seu trabalho com uma criação de um amigo, sócio ou hobista de clube; i.e., Passe algumas de suas linhagens que esse amigo que o ajude a manter a linhagem. Inevitavelmente eles seguirão um caminho ligeiramente diferente. Os resultados deles vão ser de valor, se eles seguirem as regras de criar, sendo tão bons quanto os seus, mas será diferente ou melhor. Pode somar alguma discrepância genética (sangue compatível novo) para aumentar as possibilidades de melhoria para o seu original ou até mesmo linhagem nova. Você pode trocar com ele reprodutores para criação e, tendo vários criadores que trabalhem o mesmo com a mesma linhagem, aumentam muito as chances de melhoria da linhagem.

Matrizes

Como selecionar matrizes

Um dos mais importantes aspectos da criação de guppies é a selecção ou escolha de reprodutores - matrizes. Estes peixes tem a distinta honra de carregar ou manter a linhagem. Estes reprodutores passarão para as próximas gerações, para melhor ou pior, aqueles genes ou fenótipo que a próxima geração herdará. Lembro-me, anos atrás, trabalhando numa linha de greens, eu notei um macho que tinha aquela rica cor verde que eu estava procurando. Então eu peguei uma rede e coloquei este peixe num aquário de matrizes. Então, voltei ao mesmo aquário e peguei duas fêmeas colocando-as junto ao macho escolhido anteriormente. Os meses se passaram e as fêmeas produziram suas crias e os jovens peixes cresceram. Agora, a maioria das pessoas esperariam que eu teria ao menos alguns peixes nesta geração, que tivesse aquela cor verde especial. Poucos apresentaram a cor verde. Aquelas matrizes também produziram machos que tinham cauda tão fechada que mais pareciam com cauda em véu. Isto é o que você chama de desapontamento. Então, o que você pode fazer para limitar este tipo de desapontamento ? A resposta é: selecionar as matrizes cuidadosamente.






01- cauda em véu
02- cauda betta
03 - Cauda em tesoura ou V
04 - Cauda em dupla espada
05 - Cauda em espada inferior
06 - Cauda em echarpe ou scarftail
07 - Cauda comum ou selvagem
08 - Femea dourada
09 - Cauda de femea pontuda
10 - Cauda selvagem espada inferior



Para começar, você deve conversar com o criador de quem você comprou seus peixes. Pergunte a ele, quais são as qualidades que você precisa observar no macho. Há qualquer traço particular que você precisa estar atento quando selecionando aquele macho? Agora, a escolha da fêmea é também muito importante. Pergunte as mesmas questões sobre as fêmeas. Certos criadores de guppies tem algumas linhagens tão estabilizadas que as fêmeas são quase neutras. Mas em minha experiência, isto tem sido uma excecção à regra. Por causa de vários cruzamentos, é definitivamente prudente prestar atenção em ambos, macho e fêmea.Então, como você faz para selecionar suas matrizes ? Bem, eu utilizo a regra: CFT – Cor, Forma e Tamanho . (as siglas originais em inglês são CSS – Color, Shape and Size).
E começo classificando meu machos pelo que melhor apresenta a cor que eu estou procurando. Como um grande criador (Gary Mousseau) uma vez disse, “se a cor não é certa, então você pode ter todo o tamanho do mundo e tudo que você terá é um grande peixe com a cor errada”. E ele está certo. Se você está criando um peixe de cor sólida, como o purple, a cor deve ser a mesma na cauda e dorsal, cauda e corpo. Quanto mais cor no corpo melhor é a cor sólida do peixe.
Os Half Black (metade preto) devem ter uma cor preta bem escuro no corpo, começando na altura da nadadeira dorsal e indo para o final do corpo do peixe terminando na linha de demarcação no final do pendúculo caldal. Na região que compreende o começo do half black até a boca do peixe, quanto mais cor da caudal existir nesta região, melhor. Snakeskins devem ter o padrão de pintas no corpo inteiro, sem apresentar barras verticais no pendúculo caudal. Próximo parâmetro a ser observado na seleção é a forma. Qual é a qualidade de um peixe que tem uma excelente cor mas tem o corpo, dorsal ou cauda com uma pobre forma ? Você está falando sobre perder pontos importantes em um show quando o peixe tem a forma deficiente em uma destas áreas.
Se você está criando Deltas, você quer uma dorsal no formato de um paralelogramo que é idealmente uma unidade de altura por três de comprimento. A dorsal deve ser o mais quadrada possível sendo empinada como uma bandeira. A cauda de ser um triângulo com os lados iguais com uma angulação entre 55 e 70 graus. A cauda não dever ter cantos arredondados e o tamanho deve ser proporcional ao tamanho do corpo do peixe. Tenha em mente que o corpo deve estar na mesma proporção que a cauda , ex: um por um ou 1,25 por 1,25.
O corpo do peixe não deve ter depressões na cabeça ou deformidades na espinha apresentando uma corcunda. Um pendúculo largo é sempre a melhor escolha. Eu prefiro os com corpo medio e pendúculo largo a peixes compridos com pendúculo fino. O ângulo da cauda é importante. Um bom ângulo começa imediatamente no fim do pendúculo. Algumas linhagens podem produzir fêmeas com cauda delta, cauda arredondada ou cauda de tubarão. Tome nota qual destas produz melhor ninhada. Lembre: Cor, Forma e Tamanho. Será de grande ajuda.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

51 Dicas de Como Manter seu Aquário

Apesar de não exclusivamente para aquários de Guppys, aqui ficam algumas dicas para manutenção do teu aquário.




Dicas essenciais:

1. A alimentação deve durar de 3 a 5 minutos.
2. Alimente os peixes 2 a 3 vezes por dia.

3. A placa do filtro biológico deve ocupar o máximo possível da superfície do fundo do aquário.

4. Assente o aquário sobre uma placa de isopor de no mínimo 1cm de espessura.

5. Forneça rações com mais de 40% de proteínas.

6. Ilumine o aquário de 8 a 12 horas por dia.

7. Não use cascalho ou pedras com pontas ou cortantes, pois podem ferir os peixes (e você também).

8. No inverno triplique a atenção com a temperatura da água.

9. Para introduzir um novo habitante, não esqueça da quarentena.

10. Plante pelo menos 1/3 da área do aquário.

11. Respeite a temperatura da água conforme o tipo de peixe. Ex.: peixe tropical = 26C ± 2C. (aguenta até uns 29) (Mas não deixe ter queda bruca ou causará Ìctio, mantenha a mesma sempre)

12. Troque sempre a alimentação dos peixes para evitar doenças nutricionais.

13. No tanque novo, deixe o saquinho do peixe boiando por 10 minutos para igualar a temperatura e depois faça pequenos furos para equilibrar o pH e dH. Solte-os depois de 1 hora.

14. Não jogue a água do saquinho dentro do aquário estabilizado.

15. Luz do Sol direta no tanque aumenta as algas e a temperatura.

16. Nunca bata no vidro - diga isso às crianças e visitas !.

17. Lave as mãos e braços antes de mexer no aquário (enxague bem).

18. Dê alimentos vivos pelo menos 1 vez por semana.

19. Não use remédios no aquário principal. Trate os doentes no aquário hospital.

20. No aquário novo espere no mínimo 20 dias para colocar os peixes e 1 mês para os peixes "faxineiros" (Corridoras spp., cascudos, limpa-vidros, etc.).

21. Não escolha o peixe pela beleza. Verifique a saúde e compare o movimento com seus semelhantes.

22. Não esqueça que a superfície da água sempre há trocas gasosas, por isso não fume ou use aerossol perto do aquário. Se for inevitável ponha uma toalha ou pano em cima do aquário.

23. Para aquários tropicais use 25cm2 por 1cm de peixe, isto é, multiplique o comprimento pela largura do tanque e divida o resultado por 25. Ex.: O aquário de 1000cm2 comporta 40cm de peixe.

24. Para aquários de água doce fria use 75cm2 por 1cm de peixe, isto é, multiplique o comprimento pela largura do tanque e divida o resultado por 75. Ex.: O aquário de 1000cm2 comporta 13,3cm de peixe.

25. Água esverdeada significa excesso de luz.

26. Água amarelada significa excesso de matéria orgânica.

27. Água marrom significa excesso de algas marrom (pouca luz).

28. Água turva significa excesso de alimentação.

29. Troque 1/4 da água por semana.






Dicas básicas:

1. Distribua a iluminação uniformemente por todo tanque.

2. Geralmente a água da torneira é muito alcalina para os peixes.

3. Faça vários esconderijos para peixes "tímidos".

4. Esconda o aquecedor debaixo do cascalho.

5. Caramujos ajudam na limpeza do aquário, mas tome cuidado com superpopulação.

6. Alimente os peixes antes de desligar a luz, diminuindo o risco dos peixes maiores se alimentarem dos menores.

7. Após ligar a iluminação, espere 10 minutos para alimentar os peixes.

8. Peixes de cardume, vive bem em cardume (mínimo de 5).

9. Tenha sempre peixes "faxineiros" no aquário.

10. Conchas não combinam no aquário de água doce.

11. Alimente seus peixes com ostras. Deixe no máximo por 24 h.

12. Prefira bombas submersas, além de silenciosas, são mais eficientes.

13. Peixes de fundo como Corridora e Cascudo também merecem ração, adquira rações especiais.

14. Tenha sempre 2 ou mais rações diferentes para oferecer.

15. O Betta pode conviver com outros peixes desde que não tenha outro macho, já as fêmeas não tem problema. Evite aquário alto para não "afogar" o peixe.

16. Não coloque enfeites que não seja natural. (É quase uma dica essencial!).

17. Além do filtro biológico tenha também filtro mecânico e químico.

18. Tenha sempre equipamentos sobressalentes como termômetro, aquecedor e remédios.

19. Fígado e coração são excelentes alimentos, porém sujam a água.

20. Coloque folha alface na água, os peixes herbívoros adoram.

21. Lâmpadas incandescentes esquentam a água, tome cuidado!

22. Para tanques de água ácida use somente cascalho de rio, já de água alcalina misture cascalho de calcário.






APRENDA A DESINFECTAR SEU AQUÁRIO

Primeira parte: O aquário

Desinfecção de todo aquário (pedras, plantas, enfeites, e acessórios) Obs.: Antes, coloque os rebentos numa água limpa e com aeração. Esvazie o aquário, lave tudo normalmente, faça as pedras separadamente. Coloque todos os objectos de volta, complete com água e coloque CLORO! O mesmo processo vale para as pedras. Deixe de molho por uma hora, de vez em quando mexa na água. No final, lave tudo com bastante água para retirar todos os resíduos e o cloro. E monte o aquário normalmente.


Segunda parte: Os Peixes

Faça isto depois que você limpar o aquário, a turma suporta bem ficar na bacia. Você vai precisar de sal grosso, permanganato de potássio, e muita água declorada (sem cloro!). Se você puder... enquanto estiver fazendo a limpeza no aquário, num balde limpo, deixe água limpa areando (use a bomba + pedra porosa). Você vai precisar de 3 vasilhas.... ou mais... ou você lava a que terminar o processo, mas tem que trocar as soluções tratamento. O esquema é o seguinte água salgada - - água limpa - - água com permanganato - - água limpa água salgada - - água limpa - - água com permanganato - - água limpa. As medidas das soluções tratamento 1 colher de sopa de sal grosso para um litro de água (acção: provocar um choque de pH que afeta os microorganismos)1/3 do pacotinho de permanganato de potássio para um litro d'água (Obs.: este permanganato de potássio pode ser encontrado em farmácias, tem acção fungicida e bactericida). Em cada etapa, os peixes deverão ficar em contacto com a solução tratamento por 5 minutos. Os peixes podem ficar um pouco stressados durante e depois do processo, não se preocupe, eles se recuperam bem. Depois disto é dificil algum agente externo resistir... Tem que ter muita paciência! Este tipo de tratamento costuma ser bastante eficiente para fungos e bactérias que atacam externamente os lindinhos. Depois de algum tempo, eles ficarão felizes.

Cuidados com os filhotes




CUIDADO COM OS FILHOTES
Procedimentos necessários do nascimento aos primeiros 15 dias de vida dos alevinos:
Após o nascimento dos alevinos , a primeira coisa a se fazer e retira-los do aquário onde estão com a mãe ou da maternidade e separá-los num recipiente se possível transparente ( pode ser garrafa descartável cortada tipo copo) e imediatamente deixar este recipiente boiando dentro do tanque a ser povoado por eles. Dentro deste copo eles se aclimatarão ao novo ambiente enquanto o saco vitelineo acaba de ser absorvido .



Detalhe de alevino (figura acima) ainda com o saco vitelínico e (abaixo) após absorção completa. O alevino na foto inferior apresenta-se desnutrido. Em aquários a maior causa de mortalidades das crias deve-se a falta de alimentação adequada. O aquarista precisa compreender que o alevino passa por uma fase de transição durante o processo de absorção do vitelo onde a partir do momento em que está apto a realizar a abertura da boca já deve receber oferta de alimento. A dica seria iniciar a oferta de alimento (ração para alevinos, nauplios de artemias e rotíferos) um pouco antes de finalizar a absorção do vitelo, pois há uma melhora na taxa da sobrevivência. Deve ainda oferecer várias vezes ao dia, porque é alta a taxa do metabolismo dos peixinhos nesta fase de vida.

A primeira alimentação é muito importante e para induzir os filhotes a se alimentarem nada melhor do que alimento vivo. Muitos filhotes morrem de inanição por não se acostumarem a comer ração pois trata-se de um alimento seco e sem estimulo para eles. O melhor é a alimentação com náuplios de artémia (melhor alimento) e paralelamente poderá ser dado também microvermes. Alguns dão infusórios, porém estes sujam bem a água podendo assim trazer problemas futuros tais com fungos ou parasitas.
1º alimento: Coloco um pouco de náuplios para eles dentro do copo cinco horas após terem sido separados , assim neste ambiente de pouco espaço eles acabam devorando os mesmos ( cuidado com excessos – tudo deve ser devorado até no máximo de cinco minutos) .
2º alimento: Após 6 horas da primeira alimentação insiro nova porção pequena de náuplios , podendo ser inserido também o microverme que até dura mais tempo vivo.

Quinze horas depois eu solto os filhotes no novo ambiente, já com filtro interno, água descansada e virgem, sem pedras e sem plantas . O aquecimento deverá ser constante em média de 28 ºC, PH de 7.0 a 7.2 e DH em torno de 1 .
Calendário diário de alimentos: Para filhotes o alimento demora cerca de 30 minutos até ser digerido. Teoricamente podemos alimenta-los em pequenas doses a cada 30 minutos, porém o tempo gasto para isso é impossível para qualquer pessoa que tenha outra actividade. No meu caso eu dou em média 3 a 4 porções de alimento por dia:
às 7:30 AM
às 12:00 AM
às 17:00 PM
às 20:00 PM.
Procura variar ao máximo as alimentações. Nos primeiros 5 dias dá preferência a alimentos vivos e no caso pode ser dado microvermes e artemias. Após 5 dias insere aos poucos ração bem fina. Compra ração de boa qualidade e bate no liquidificador e peneirando-a em malha bem fina. Dá ração em média 2 vezes ao dia . O restante continua sendo alimento vivo.
Esta provado que a maior mortalidade está nos primeiros 15 dias de vida, se o criador tiver estes cuidados a perda poderá variar de 0 a 5% até estágio adulto. A primeira alimentação do dia é a mais importante por isso dá sempre o que há de melhor – Artemias.
Trocas de água
No caso dos filhotes, sabe-se que eles excretam um hormônio que inibe o crescimento do concorrente, pela própria lei de competição da natureza. Este hormônio permanece activo na água. Um amigo, criador de acarás bandeira e discos fez a seguinte experiência. Em duas crias de acará bandeiras nascidas no mesmo dia ele colocou cada uma em um aquário distinto. Num ele trocou periodicamente a água em torno de 40 a 50% semanalmente. No outro ele quase não efectuou a troca da água. O alimento era o mesmo e nas mesmas doses. Mesmas condições de luz, temp., PH, DH etc. Após 4 meses ele verificou que no aquário onde foi feita a troca parcial os peixinhos cresceram uniformemente todos basicamente do mesmo tamanho , em compensação no aquário onde não foi feita a troca parcial , os peixes estavam disformes em tamanho , alguns poucos do tamanho dos peixes do outro aquário e a maioria menor com dimensões variadas. Nos guppies acontece o mesmo até à fase final de crescimento que gira em torno dos 7 meses de vida.
Concluímos então que a presença deste hormônio inibe o crescimento dos filhotes. Por isso é necessário a troca de no mínimo 40% da água semanalmente. Existem criadores que trocam menores quantidades porém diariamente diminuindo assim o tempo para o crescimento até o estágio adulto. Outro factor importante para troca parcial é a retirada dos excrementos , evitando assim a formação de um ambiente propicio a proliferação de parasitas, fungos e bactérias ainda mais mortais para os alevinos.
A maior dificuldade é a troca parcial ou sifonamento do aquário dos alevinos recém-nascidos por serem pequenos e fáceis de serem sugados e também por estarem ainda na fase crítica de sobrevivência. O ideal é fazer-se a primeira troca parcial com 12 dias de idade (fase em que eles estão mais resistentes a qualquer variação) por isso é necessário que a água do aquário em que eles foram inseridos ser virgem. Esta troca pode ser feita com mangueira fina ou mesmo uma mangueira normal com peneira na ponta para se retirar possíveis filhotes acidentalmente sugados. O filtro deve ser limpo a cada 15 dias.

Caso a pessoa queira alimentar os filhotes mais vezes ao dia não existe nenhuma contra indicação, muito pelo contrário, assim ele aumentará a velocidade de crescimento dos mesmos devendo ter somente a dois cuidados especiais:
1 – Excessos de alimento podendo trazer assim problemas intestinais aos alevinos;
Cuidados especiais com a água, devendo assim aumentar a taxa semanal de troca parcial para 2 a 5 vezes dependendo do número de vezes em que ele irá alimentá-los.
Alimentos como patê de Gordon podem ser inseridos no cardápio desde que sejam de granulometria compatíveis ao tamanho da boca dos filhotes e após os 15 dias de idade (os excessos devem ser imediatamente sifonados para este caso, por se tratar de um alimento que se deteriora rapidamente e com ele a qualidade da água dos peixinhos).
Dimensões de aquários para os filhotes
O aquário dos filhotes deverá ter no máximo 20 cm de altura, a largura e o comprimento podem variar de 15 cm de largura até 30 a 40 cm de comprimento Sabe-se que o mais importante é a área de superfície do mesmo. O tamanho é um factor que influencia no crescimento, pois quanto maior o tamanho, mais rápido é o crescimento . Porém em aquários muito grandes, além da dificuldade de espaço existe o problema do manejo do mesmo. Se o criador fizer as trocas parciais e seguir o cardápio alimentar a risca, a diferença de crescimento de um aquário para um tanque são pequenas, não compensando a perda de espaço. Porém se o criador tiver condições de ter tanques maiores, aconselho que os filhotes sejam soltos após a separação de sexo dos mesmos, em torno de 2 meses de vida. Assim eles poderão crescer sem perigo de serem inseminados por peixes de qualidade inferior. Muitos criadores usam tanques imensos para criação de guppies porém se o cuidado da separação de sexos e selecção genética não for tomado, em poucas gerações ele perderá todo o potencial genético de sua linhagem.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Como iniciar uma criação semi comercial de Guppys

















Como iniciar uma criação seletiva profissional de Guppies


- Constroi uma estufa específica para este fim (veja projecto anexo)
- Adquire de um criador de confiança : 1 macho e duas fêmeas da mesma linhagem .


Estes peixes, geralmente, só podem ser encontrados em criadores profissionais, membros de associações reconhecidas . São peixes de raça pura, geralmente vendidos em trios - um macho e duas femeas virgens e entregues pelo correio com todas as garantias . Com qualquer outra forma de compra não terás garantia da linhagem do macho, geneticamente falando (recessividade) e as fêmeas devem ser virgens, pois a femea de guppy consegue armazenar diversas crias após um único cruzamento e possui dois úteros distintos, embora muitos criadores afirmem que femeas não virgens prestam-se para a criação , desde que cruzadas com machos reconhecidamente puros . Procura utilizar fêmeas virgens com menos de 5 meses . Os machos não deverão ter a cauda muito grande.

CONDIÇÕES DE HABITAT
Água : pH em 7.2
Temperatura : 25 a 28 º C
Trocas de água : 50 % do total por semana
Iluminação : 15 w para cada aquário (usa uma telha transparente na estufa para aproveitar a luz do dia (medida econômica) .
Plantas : soltas (elódea, cabomba, musgo java, ...)
Aquários : sem substrato (cascalho) com filtragem fraca
Alimentação : 3 vezes ao dia

AQUÁRIOS – DIMENSÕES
Cruzamento : 20 a 30 litros = matrizes principais
Parto A e B : 20 litros (muitas plantas soltas)
Descendentes machos e fêmeas de A e B – 20 l cada (total 4 aquários)
Peixes para comercialização - descartes dos descendentes de A e B
– 200 a 500 litros (caixa d’água) – machos
- 200 a 500 litros (caixa d’água) – fêmeas




O esquema acima traz uma sugestão de cruzamentos entre matrizes e descendentes, afim de que se obtenha um produto final (peixe) que conserve as melhores carcterísticas da espécie. Obviamente existem muitos outros sistemas de cruzamento visando uma melhor selecção genética utilizado por criadores profissionais. Clik na foto para ampliar.




O QUE DEVES SABER PARA INICIAR UMA CRIAÇÃO SELECTIVA PROFISSIONAL DE GUPPIES
Gestação : 30 dias
Maturidade sexual : 3 meses (já se reproduzem) .Coloca as matrizes no aquários de reprodução (trinca) . Após 3 dias separa as fêmeas e coloca-as nos aquários A e B para soltarem as crias (estes aquários deverão estar muito bem plantados) . Os filhotes machos serão colocados nos aquários A1 e B1, respectivamente e os filhotes fêmeas serão colocados nos aquários A2 e B2 . (a separação entre sexo deverá ocorrer antes dos 60 dias de idade) . Após 4 meses escolhe 2 peixes de cada aquário para futuras matrizes reprodutoras. Escolhe machos com corpo largo e bem desenvolvido . Retira os maiores . No caso das fêmeas prefere aquelas com corpo bem desenvolvido, boca bem apontada para cima e nadadeira caudal em forma de leque ligeiramente triangular (nunca redonda ou oval ). Das novas matrizes seleccionadas, escolhe um trio (um macho e duas fêmeas) ou mais (conforme disponibilidade de aquários) e substitui as matrizes originais por estes novos trios.


Descarta as matrizes originais. Comercializa-as. Inicia novamente todo o processo de cruzamento, selecção e descarte. Os peixes não escolhidos para matrizes ocuparão as caixas d’água 1 (machos) e 2 (fêmeas) e serão destinados a comercialização .


O QUE DEVES SABER SOBRE A MONTAGEM DE UMA ESTUFA
O sucesso de uma criação está na montagem de uma estrutura própria para armazenamento dos peixes, separação e manipulação . Em primeiro lugar deves obrigatoriamente ter um espaço reservado na tua casa para a construção da estufa que medirá 3x2 metros com pé direito (altura) de 2,3 metros (no mínimo) .
Assim :









Estufa caseira para a criação de guppies - clik na foto para ampliar.



As paredes internas da estufa deverão ser pintadas com cal, pois isto ajuda na higienização do ambiente. Utiliza telhas de amianto e no mínimo uma telha de fibra plástica transparente para aproveitar a luz do dia dentro da estufa . O chão da estufa não poderá ser de piso de madeira ou carpete. Prefire cimento liso ou piso frio e deverá ser perfeitamente alinhado (estar no nível) .Faça previamente um sistema com ralo grande no chão da estufa próximo às estantes de aquários . Isto facilitará a manutenção. É ideal também que haja uma pequena pia na estufa, ou no mínimo uma torneira com rosca para mangueira. Não guardes rações ou medicamentos dentro da estufa, pois o ambiente úmido e abafado favorece à sua deterioração. Conserva equipamentos como mangueiras de jardim, sifões, reservatórios de água para as trocas constantes (podem ser estes garrafões usados para venda de água mineral). Tem pelo menos uns 6. Jamais utilizes água directo da torneira para fazer a troca parcial nos aquários, a não ser que esta água seja pré condicionada. Guppys adoram trocas parciais e desenvolvem-se muito bem quando elas são feitas umas duas vezes por semana - (25% do total de cada vez, totalizando 50% por semana ).

Monta as estantes para os aquários com madeira – caibro (de boa qualidade) ou então utiliza estantes de aço – tipo de escritório. Podes ainda fazer estantes de ferro e depois pinta-las com anti ferrugem. Existem barras de ferro próprias para isto e o serralheiro poderá fazer. Basta dar as medidas dos aquários que ele as cortará e soldará. Compra as barras de ferro e pede apenas para cortar e soldar (se for num mecânico sai muito mais barato) – verifica o tipo de solda ideal (resistência). Instala alguns soquetes para lâmpadas fluorescentes (com calha). Prende-as na parede que fica atrás dos aquários. Duas lâmpadas fluorescentes para cada três aquários (andar da estante) deve bastar. Deverá haver uma média de 15 watts para cada aquário (entre 10 e 20 watts). No sistema de filtragem poderás utilizar filtragem comum com compressores de ar e filtros de espuma. Biológico (fbf) é impossível – não terás cascalho para segura-lo além de não ser aconselhável. Utiliza divisores de ar ligados as mangueiras que distribuirão o nível de ar que moverá os filtros em cada aquário.
Se utilizares um sistema dry wet, conforme consta no projecto, não te esqueças de instalar registros no canos que levam água para os aquários, a fim de que possas esvazia-los individualmente. A maior vantagem do dry wet é que poderás utilizar um único termostato e bomba submersa dentro dele que filtrarão e aquecerão todos os aquários. Deixa para instala-lo quando já estiveres perfeitamente adaptado com a criação. A maior desvantagem de um filtro do tipo dry wet é que no caso de doenças, todos os peixes estarão submetidos à mesma água e aos organismos patógenos ali existentes. Uma boa solução para minimizar este problema é o uso de um filtro uv integrado ao dry wet. Começa devagar. Caso optes pela filtragem simples, utiliza aqueles aquecedores elétricos que ficam de pé e parecem uma máquina de secar cabelos de mulher (estas que tem em cabelereiro). Este tipo de aquecedor também é utilizado em avicultura . Nesta área existem também opções de aquecedores a gás (bem mais econômicos) chamados campânulas .



foto : macho de guppie endlers adulto - fonte : consta na própria foto
Campanulas utilizadas para o aquecimento de estufas

foto : fêmea de guppy endlers adulta - fonte : consta na própria foto .
Estende um plástico grosso transparente a cerca de 10 cm. abaixo das telhas. Isto ajudará na retenção de calor no interior da estufa. A porta da estufa deverá ser revestida (do lado de dentro) com uma placa de isopor em toda a sua extensão. Isto evitará que ela empene devido ao calor e a umidade. Utiliza um termômetro normal para assegurar que a temperatura média dentro da estufa se mantem sempre entre 30 e 35 º. Segundo experiências de criadores, acredita-se que os Guppus criados em estufas têm as nadadeiras maiores e o corpo um pouco menor do que outros que são criados em tanques ao ar livre.


O QUE DEVES SABER SOBRE OS CUIDADOS COM OS ALEVINOS
Após o parto a fêmea deverá ser retirada do aquário (bem plantado - plantas soltas) onde ficarão os alevinos . Deve ser colocadas num aquário vazio (é por isto que sobram dois na estante do projeto da estufa ) para descansarem durante 3 a 4 dias no período pós parto e devem receber alimentação rica em artêmias neste período. Após isto, já podem voltar ao aquário de cruzamento e reiniciar o ciclo. Espera pelo menos uma semana para trocar os alevinos de aquário e assegura-te que os níveis da água são semelhantes em ambos os aquários . Os alevinos são bastante sensíveis a mudanças bruscas na temperatura ou qualidade da água (pH, kH, etc..). Mantem a temperatura constante de 27 º C para os alevinos .

Ofereçe-lhes, sempre que possível, náuplios de artemia salina e/ou microvermes (vermes de aveia) . Isto acelera o seu desenvolvimento. Alimente-os 4 vezes ao dia em pequenas quantidades. Isto também os faz crescer rápido. As algas fazem parte da alimentação dos alevinos . Neste caso capricha na iluminação e nas plantas para propiciar um bom crescimento de algas. Eles gostam e desenvolvem-se mais na água verde. Mantem a água em óptimas condições de limpeza. Utiliza filtragem fraca, sifonagem e trocas parciais constantes. Após 30 dias os alevinos começam a alimentar-se como adultos .

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Manual Básico de Aquariofilia para Iniciantes







EQUILÍBRIO BIOLÓGICO



Para que um aquário possa alcançar o que chamamos de EQUILÍBRIO BIOLÓGICO, devemos seguir para algumas regras básicas, daquilo que geralmente devemos ou não devemos fazer. É claro que na Aquariofilia existem excepções e muita gente obtém sucesso utilizando técnicas em que anteriormente outros fracassaram. Mas em linhas gerais devemos lembrar que num aquário não existem somente peixes .....há muita vida invisível aos nossos olhos e vital para o equilíbrio biológico .

Existem uma imensa gama de seres microcópicos, tais como bactérias, micro invertebrados, etc.... Tudo isso existe num aquário e se integra formando um micro Universo, um pedaço da Natureza. Devemos encarar um aquário como um pequeno universo que, regido pelas leis da Natureza, algumas vezes necessita da mão do aquarista, que com algum conhecimento, saberá o que fazer para mudar o rumo de algumas transformações fisícas, químicas e biológicas que por ventura ocorram de maneira não desejada . Alguns pontos devem ser observados no nosso aquário para torná-lo próprio para a formação deste equilíbrio:
- aquário bem montado (contando com todos os equipamentos necessários à correcta manutenção da espécie pretendida) ;
- água com PH e temperatura adequada à espécie pretendida;
- alimentação variada e de boa qualidade (fator importantíssimo para alcançarmos o sucesso );
- iluminação adequada para provocar a fotossíntese das plantas (quando tratar-se de aquas plantados);
- alguns peixes não gostam de iluminação excessiva, tais como os killifishes e alguns peixes oriundos de biótopos amazônicos (águas escuras);
- não exceder na quantidade de peixes e alimentação;
- manter peixes compatíveis (em química da água, temperatura, tamanhos, etc...)...uma vez estudando tudo que possa estar em volta de um peixe descobrirás muita coisa.
PROCEDIMENTO BÁSICO PARA A MONTAGEM DE UM AQUÁRIO:
Obs: Não compres os peixes ainda.
1- Lava bem o aquário com água corrente, por dentro e por fora.
2- Escolher um lugar ideal para colocar o aquário, evitando quintais e varandas. O ideal é deixá-lo em algum canto da sala onde não receba luz direta do sol e nem correntes de ar .
3- Utilização de um bom filtro, conforme a exigência da espécie . Para aquários de água doce aconselho um filtro externo de marca confiável e de cor preta (nunca transparente) - a seguir explicarei o porquê disso . Obs: Aquaristas iniciantes não deverão utilizar filtro biológico de fundo (fbf) - pois além de não retirar a sujeira que se deposita no fundo (sob o cascalho) , ele acaba impossibilitando uma sifonagem eficiente, causando depois de um certo tempo, picos de amônia, nitrito, hiper acidez da água, etc... o que na maioria das vezes acaba sendo letal aos peixes. Deixa esse tipo de filtragem para aquaristas mais experientes e que têm tempo de dedicar-se à trabalhosa manutenção que esse filtro acarreta .
4- Lavar muito bem o cascalho que formará o solo do aquário em água corrente, até que a água fique cristalina (antes da introdução do mesmo). Obs: se quiseres fazer um aquário plantado, no estilo holandês, utiliza como substrato a laterita, o humus de minhoca tratado, ou alguma outra espécie de fertilizante sólido à venda nas boas lojas do ramo - ex : Sera Floredepot (bem mais fácil) e finalmente areião lavado ou cascalho de rio de granulação fina. A laterita deve necessariamente ficar por baixo, o substrato fértil no meio e o cascalho em cima (em contato directo com a água). Uma outra excelente opção é o produto "Eco Complete" da Caribe Sea, pois este produto é completo, não suja a água, dispensa o uso de laterita, areião, etc....e traz também uma colonia de bactérias que tendem a acelerar o processo de equilíbrio biológico do aquário. Ao solo, qualquer que seja, que utilizamos no nosso aquário, costumamos chamar SUBSTRATO .
5- Coloca o substrato no aquário de maneira que forme um plano levemente inclinado do fundo para a frente (facilitará as sifonagens).
6- Lavar bem as pedras arredondadas de ornamentação se fores colocá-las no aquário - verifica se elas não possuem propriedades de composição química que alterem drasticamente o ph.
7- Coloca as plantas bem distribuídas . (Existem técnicas referentes à disposição harmoniosa destas plantas) . Em Aquariofilia mais avançada chamamos a esta técnica Aquapaisagismo. Um optimo site de referência para estas montagens é o site http://www.takashiamano.kit.net/principal.html , que explica o estilo do aquário natural, popularizado mundialmente pelo Sr. Takashi Amano .
8- Enche o aquário com a água de torneira com cuidado para que o jacto de água não seja forte para não turvar a água. (COLOCA UM PRATO OU PIRES DENTRO DO AQUA AO ENCHE-LO E DIRIJE O JATO AO CENTRO DO PRATO). A água introduzida deverá ser previamente tratada com um condicionador de água, para se retirar o cloro, cloramina, metais pesados e proporcionar protecção ao muco natural que envolve o corpo dos peixes.
9- Lava bem o aquecedor ou termostato (preferencialmente) e INSTALA-O CONFORME AS INTRUÇÕES DE USO DO FABRICANTE.
10- Instala a bomba submersa ou o filtro externo com bomba seguindo as suas instruções. Lembra-te no entanto que só a bomba não filtra nada - apenas movimenta a água e isso não é o suficiente para manter o aquário limpo e em boas condições .
11 - Lava a tampa e instala a iluminação que deverá ser dimensionada conforme a necessidade do aquário . Para plantados com plantas de crescimento rápido e/ou que formam carpete a medida ideal é de 1 watt por litro. Existe uma série de especificações mais detalhadas a respeito de iluminação ideal, envolvendo conceitos como iluminância, temperatura de cor, comprimento de onda, etc...portanto, pesquisa antes de comprar as lâmpadas.
11- Faz as ligações elétricas. O aquário iluminar-se-á, o aquecedor elevará a temperatura do aquário (ideal-24 a 29 graus), o motor fará funcionar o filtro e a oxigenação....está pronto o teu aquário. Durante 30 a 40 dias não coloques peixes no aquário. Este é o tempo mínimo necessário para o aquário começar a formar o seu equilíbrio biológico. Existem pessoas que recorrem a pequenos peixes resistentes, para fazer a ciclagem do aquário, em nº bastante reduzido. Porém esta não é a opção ideal. Outra boa opção é o uso de aceleradores de biologia que reduzem bastante esse prazo de colocação inicial de peixes no aquário. De qualquer forma evita os peixes mais delicados como neons, discos, entre outros. O teu lojista de confiança poderá ajudar na escolha dos peixes correctos.





AS PLANTAS
Plantas evitam que muitos elementos entrem em processo de decomposição, colaborando assim para a efectivação de um perfeito equilíbrio biológico no aquário. Absorvem também nitratos e fosfatos (principais alimentos das algas), assim como amônia . E não podemos esquecer que o equilíbrio biológico num aquário é a sua "alma". Portanto coloca muitas plantas no teu aquário. Lembra-te apenas que algumas espécies como os peixes de água fria (kinguios, por exemplo)devoram plantas e outras, como o Oscar, removem a todo o momento o substrato , desenterrando-as.

A ÁGUA
A água talvez seja a mais importante das substâncias químicas, por ser constituinte fundamental da matéria viva e do meio que condiciona a vida. Por possuir propriedades físicas e químicas diferentes das de qualquer outra substância, ela é fonte de equilíbrio do mundo em que vivemos. Algumas dúvidas comuns que temos observado na maioria dos iniciantes aquaristas com respeito a água do aquário são:
Devo trocar a água todos os dias?.
É muito difícil cuidar de um aquário?.
E quando eu for viajar?.
São dúvidas simples, mas muito comuns nos dias de hoje. Devemos raciocinar com coerência a vida que existe num aquário ornamental de modo a entender as regras do Equilíbrio Biológico. Muitos peixes num unico aquário certamente o sobrecarregará de detritos orgânicos (fezes) e consequentemente desequilibrará o aquário.



E as Plantas?
Tem sempre em mente que planta absorve gás carbônico, amônia, nitratos, etc.. e elimina oxigênio, além de assimilar os produtos transformados pelas bactérias como fonte de alimento. Tens em mãos um mundo vivo, e como tudo que possui vida, o carinho e a dedicação para com este mundo devem ser bem observados.
Cuidado sempre com o excesso de alimento e o tempo de iluminação.
Estuda e pesquisa muito sobre a compatibilidade e sociabilidade entre peixes. Sempre que fores comprar peixes, pergunta ao vendedor sobre a compatibilidade entre os peixes que já tens e os que vais comprar.
Tira conclusões de teu aquário, observando apenas a cor da água:
Cor esverdeada - Excesso de iluminação - Aumento exagerado de algas verdes causando dificuldade para as plantas respirarem, levando-as à morte desequilibrando todo o sistema - Solução Diminuir a exposição a luz. Limpar as laterais internas do vidro e as folhas das plantas. Introduzir alguns limpa vidros ou um cascudo no aquário.
Cor marrom - Iluminação insuficiente - Acidifica a água por causa da deterioração das algas, tornando-se inadequada para os peixes e plantas. - Solução - aumentar e tornar adequada a iluminação do aquário, trocar ¼ da água (água nova descansada com mesmo ph e temperatura).
Água turva - Excesso de matéria orgânica em suspensão. - Acidifica a água e aumenta a população de bactérias, causando escoriações, inflamações e infeções nos peixes, além de intoxicação. - solução - sifonar o solo. Trocar 3/5 da água. Diminuir quantidade de alimento que está a dar aos peixes. Um help filter costuma ser bem útil nesses casos.
Água amarelada - Excesso de matéria orgânica em suspensão. - A água passa a adoptar uma posição extremamente tóxica.
Água muito ácida. - Solução - verifica se não há excesso de matéria organica no aquário, a qualidade do alimento oferecido e o tipo de substrato utilizado. Verifica também a existencia de troncos e compostos que possam libertar ácido húmico em profusão. Uma troca parcial de água é sempre bem vinda.
Água cor metálica - Remédios e produtos químicos em excesso. - Água imprópria para aquários. Completamente intoxicada. - Solução - fazer uma troca parcial de água em torno de 80% e adicionar carvão ativado no sistema de filtragem.

DESCOBRE O PH
O PH é quimicamente, o valor do potencial de Hidrogênio iônico de uma solução qualquer. O Ph ideal para um aquário é basicamente o ph 7.0 , ou seja, o neutro. Porem existem alguns peixes e plantas que se adaptam ao ph mais ácido ou mais alcalino. Para a medição de Ph da água, adquire no comércio especializado um teste próprio, de boa qualidade, reativo, que em contato com uma amostra da água do aquário nos indicará o seu valor. Devemos observar semanalmente as condições de ph da água do aquário.

Observa algumas dicas que devem ser compreendidas pelo aquarofilista, tais como:
1 - o excesso de comida não ingerida pelos peixes, acidifica a água do aquário.
2 - uma característica comum de água ligeiramente alcalina (ph 7 a 7,4) apresenta forte vegetação, depósito de calcário sobre as rochas, é esverdeada e tem cheiro característico.
3 - uma característica comum de água ligeiramente ácida (ph 6, é a tonalidade meio amarelada e a vegetação é pobre com folhas amareladas.
4 - a amônia é altamente tóxica em águas alcalinas. Em águas ácidas, toma a forma iônica que é menos tóxica.
5 - Sempre que fores fazer uma troca parcial de água numa água alcalina contendo amônia, primeiro acidifica a água a ser introduzida. É isso mesmo, acidifica-a, pois a amônia em pH alcalino adquire sua forma mais tóxica = NH3 e pode dizimar a população de um aquário em questão de horas.
5 - O aproveitamento do CO2 pelas plantas é bem menor ou até inexistente em pH alcalino. Para que a fotossintese ocorra de maneira positiva e as plantas tenham um bom crescimento adpta um pH em torno de 6,8.

FILTRAGEM
Entendemos por filtragem os processos pelos quais eliminamos da água toda e qualquer substância que possa influir directa ou indiretamente na sua composição química, tornando-a inadequada à sobrevivência dos animais.
Quanto aos tipos de filtros, existem os filtros mecânicos, onde a água é aspirada para ele e obrigada a passar através de várias camadas de materiais filtrantes, e os filtros biológicos, onde se processam as transformações bacterianas (é um filtro vivo).
O filtro mecânico, utiliza como material filtrante a lã perlon ou acrílica, espumas, etc... cascalho ou areia grossa, vamos perceber que a água que por ele passa fica isenta de partículas, pois os elementos filtrantes de propriedades mecânicas irão retê-las. Todo esse material filtrante, no caso de filtros externos, os refís, devem ser trocados mensalmente.
Já a filtragem biológica, nada mais é do que a adequação de um substrato próprio (superfície de contato) para a formação de uma verdadeira colônia de bactérias , que em contato com os detritos orgânicos em decomposição, os transformarão de substâncias tóxicas ao peixes a substâncias totalmente atóxicas (como efeito final do ciclo do nitrogenio).
Os filtros utilizam-se também da filtragem química, tendo como elemento filtrante principal o carvão ativado (existem algumas resinas destinadas a outros fins) . Este elemento elimina o cheiro, o gosto e a quimica artificial da água (remédios por exemplo) .

A cor do filtro externo deve ser também minuciosamente verificada . Ele deve ser totalmente preto, evitando grande transparência do material . PORQUÊ ? Sem dúvida nenhuma o filtro preto leva larga vantagem sobre qualquer outra cor . Principalmente no que se refere à biologia dentro do mesmo, pois não haverão algas dentro do filtro . Eu explico e para isto vou fazer uma comparação : Imaginem um filtro externo de cor preta do tipo hang on (que se pendura na borda superior do aquário), por exemplo, e um outro transparente .... Pergunta : Qual o mais bonito à primeira vista ? Resposta : Em geral é o transparente - o aquarista por alguma estranha razão gosta de levantar a tampa do aquário e ficar observando os detritos dançando lá dentro do filtro - rsrsrs . Pergunta : Onde colocarás o tal filtro (?) normalmente alguém poderá ve-lo, após colocado alí ? Resposta : atrás do aqua , em geral de baixo da tampa e o mesmo não será visto . Pergunta : Que efeitos a médio e longo prazo sofrerão os filtros por estarem logo abaixo da tampa onde está a iluminação (lâmpadas) do aqua ? Resposta : - o filtro transparente ficará cheio de algas, pois alí elas encontrarão excesso de nutrientes (por causa dos materiais contidos nos refís), excesso de luminosidade (devido às lampadas do aqua) e oxigenação boa, (devido ao fluxo constante de água no interior do filtro), ou seja, isto é tudo o que as algas precisam para se desenvolverem e tomarem conta do filtro . - já o filtro preto permanecerá com o seu aspecto e interior inalterado, simplesmente pelo facto de não deixar passar a luz (este tipo de algas necessita de luz para florescer) . Pergunta : No que as algas existentes no filtro prejudicarão o aqua ? Resposta : Em primeiro lugar o filtro ficará com um aspecto horrível, totalmente tomado por algas, inclusive algas com aspecto gelatinoso, mas a principal desvantagem ao meu ver, é que estas algas competirão por oxigênio com as bactérias nitrificantes que transformam amônia em nitrito e nitrito em nitrato, conforme anteriormente explicado, cumprindo assim o ciclo do nitrogênio. A filtragem biológica portanto, talvez a mais importante , ficará totalmente comprometida num filtro que não seja totalmente preto. As bactérias nitrificantes não necessitam de luz para estabelecerem uma colônia, ao contrário das algas ... no entanto, com a presença de luz as algas acabam ganhando a competição frente às referidas bactérias . É por esta razão que sempre dizemos que a colônia de bactérias benéficas ao aquário desenvolve-se muito melhor em ambientes escuros .... justamente para evitar que venham a competir com as algas . Portanto, acho que qualquer filtro externo que se preze deve ser totalmente PRETO , sem sombra de dúvida . Tanto pela estética, a médio e a longo prazo, quanto pelo fim a que se destina .

O AQUECIMENTO DA ÁGUA
A maioria dos peixes ornamentais de água doce são peixes tropicais, ou seja, vivem bem numa temperatura entre 24 e 30 graus. O aquecedor é utilizado no aquário para aquecer a água, e como base, calculamos sempre a relação de 1W por litro de água para escolhermos a potência exacta do aquecedor para nosso aquário. A temperatura da água tem que ser constante, pois a sua variação debilita os peixes deixando-os fracos e susceptíveis ao ataque de bactérias. É conveniente instalarmos no aquário um termostato, que acoplado ao aquecedor, automaticamente regula uma temperatura constante na água, não havendo o risco de cozinharmos literalmente os peixes.

Existem também aquecedores com termostatos já acoplados , do tipo eletrônico submerso, onde simplesmente programamos qual é a temperatura que queremos no interior do aquário, sendo os mais indicados, na minha opinião . Dispensam inclusive o uso de termometros.

A ILUMINAÇÃO DO AQUÁRIO
As plantas alimentam-se de diversos tipos de nutrientes. Esta absorção é feita pelas raízes e pelas folhas. A iluminação desempenha papel fundamental para suas funções vitais oferecendo a elas condições para um crescimento normal e para a realização da fotossíntese, que é definida como o processo pelo qual as plantas transformam a partir da clorofila e do anidrido carbônico e sob a acção de energia luminosa, glicose, assimilável por elas e libertam oxigênio.
Ao peixe, uma iluminação adequada fixa no seu organismo a protovitamina e o cálcio de que necessita, evitando o raquitismo. fonte : http://www.peixesornamentais.info/ O tempo de exposição diária de luz deve ser de 8 a 12 horas, conforme as nossas observações. Muita luz pode ser prejudicial pois as algas verdes proliferam muito no aquário. A iluminação deve ser feita por lâmpadas fluorescentes ou HQIs. - nunca incandescentes .




AS DOENÇAS DOS PEIXES
Fazendo as manutenção periódicas e necessárias no teu aquário mante-lo-às limpo, saudável e higienicamente equilibrado, mas às vezes fazendo tudo muito certinho não estarás livre de te deparares com alguma doença que entra no aquário através do ar, água nova, plantas, ou outros peixes recém adquiridos. Grande parte das doenças verificadas em peixes origina-se da alimentação excessiva, com excesso de dejectos no fundo (por isto a sifonagem periódica é obrigatória bem como as trocas parciais de água). Obs : sifonagem : consiste na utilização de uma mangueira, onde por efeito de sucção e gravidade, os detritos depositados no fundo, não captados pelos filtros, serão retirados do aquário por acção mecânica .
Outro factor que costuma trazer doenças para o aquário são as variações bruscas de temperatura . Caso observes algum comportamento anormal nalgum peixe (deves conhecer os hábitos de teus peixes. Se eles são rápidos, comem muito, nadam só na superfície, etc...), procede assim: - verifica a temperatura da água (Se estiver baixa, pode ser um motivo para os peixes estarem apáticos) ... Mantem a temperatura entre 24 e 28 graus. - Cheira a água de teu aquário (em alguns casos a água pode estar com um cheiro forte, o que indica a existência de gases que estão intoxicando os seus peixes). O teu aquário está na temperatura correta e sem cheiro ??? Então procede assim: -durante 48 horas mantem a temperatura de teu aquário a 30 -31 graus, e procura alimentar os teus peixes com alimentos vivos (artemia,tubifex)... Isso caso observes que a maioria de teus peixes estão "esquisitos." Observa primeiro que alguns peixes não apreciam temperaturas tão elevadas, como é o caso dos peixes de água fria (kinguios e carpas), killifishes, etc.... Se não adiantou este procedimento, então terás que aplicar algum medicamento na água do aquário. Observa bem o comportamento dos teus peixes e a aparência.
O mercado aquarístico possui diversos medicamentos próprios.
A - Doença Sintomas/Causas
1-Decomposição das nadadeiras / São provocadas geralmente por bactérias / usa bactericida.
2-Ictio / pequenos pontos brancos pelo corpo e o peixe fica com as nadadeiras fechadas / usa anti-ictio e eleve a temperatura .
3-Oodinium / em estágio avançado, as escamas ficam com um brilho fraco como veludo / usa oodonicida ou um bactericida-fungicida + parasiticida.
4-Gyrodactylus /parasita trematódeo que provoca inflamação na pele dos peixes . - Dactlogyrus - parasita trematódeo que provoca inflamação na região das branquias...(o peixe fica arfando e as abrindo as branquias com vigor para respirar).
5-Inflamação nos Olhos / os olhos ficam inchados / o peixe perde coloração - bacteriose interna.
6-Fungos na Boca / parecem tufos de algodão / podem haver bactérias associadas .
7-Hidropsia / o peixe fica inchado devido a infecções internas causadas por bactérias - (difícil cura).
8-Mucosidade do Peixe/ as vezes é afetada por machucados /analisar quadro .
9-Fungos / parecem tufos de algodão. É claro que em casos de doenças, devem sempre existir muitas variantes e as vezes até algumas interações medicamentosas ... O ideal é sempre ter certeza absoluta da moléstia, antes de iniciar o tratamento . Nunca devemos aplicar remédios na água, em caráter preventivo . As doenças devem sempre ser tratadas em aquários hospitais.
Esse é um tipo de aquário muito comum por aí.








Jamais compres ou retires uma planta de um aquário como esse (infestado de algas) para colocar no teu aquário. Isso irá infestar o teu aquário de algas também. Se o aquário plantado ou a bateria de plantas da loja que frequentas apresenta esse aspecto, acho melhor trocares de loja, a não ser que pretendas culivar algas ao invés de plantas.

PODE - NÃO PODE - REGRAS PRÁTICAS:
O QUE PODES USAR E FAZER NO AQUÁRIO :
- Usar sempre cascalho arredondado no solo, e de cor escura
- A posição da luz atrás é melhor
- Deixa uma saída do divisor de ar livre para sair ar excedente do compressor, não obstruindo sua saída. Em caso de compressores um pouco mais fortes é comum a queima do diafragma no caso do mesmo trabalhar forçado.
- Montar tocas com pedras grandes para peixes de hábitos noturnos
- Plantar 1/3 da área do solo
- Em caso de necessidade urgente, saiba que a água do chuveiro (quente) já vem sem cloro. Deixando arrefecer, podes usá-la em teu aquário . Mas isto não deve se tornar uma constante, tendo em vista que o aquecimento não elimina os metais pesados, bem como outros agentes prejudiciais aos peixes além do cloro .
- Todo o aquário deve ser assentado sobre uma placa de isopor .
- O tronco apenas deve ser usado para ornamentar aquários de água ácida - preferencialmente o tronco de aroeira - não uses qualquer tronco - eles podem liberar substâncias tóxicas na água.
- Limpa sempre que necessário apenas as algas do vidro frontal do aquário usando um limpador magnético.
- Podes calcular o volume de água do teu aquário multiplicando o comprimento pela altura e pela largura(medidas em cm). e dividir o resultado por 1000 - obterás o resultado em litros.
- Escolhe sempre como aquecedor a proporção de 1W/l... O teu aquário tem 50 litros, então adquire um aquecedor de 50W . Em casos de aquecedores sem termostato, lembra-te de providenciar os descontos das pedras e ornamentação e verifica quantos litros reais tem o teu aquário . É melhor errar para menos do que para mais, excepto em casos de aquecedores que já possuem o termostato acoplado (controle automático de temperatura) - bem melhores, sem dúvida .
- Alimenta os seus peixes pelo menos uma vez por semana com alimentos vivos (hoje já existem alimentos vivos em forma de congelados que conservam as suas propriedades nutritivas, sem o inconveniente de mantermos estes bichinhos vivos em casa - utiliza somente marcas de expressão).
- Utiliza uma rocha grande (em relação ao aquário, é claro) em aquários de betta que não têm aquecimento - ela serve como tamponador térmico - ajuda a segurar os picos de temperatura .
- Guarda o pote de alimento (ração em flocos) sempre bem fechado e em local seco e arejado(armário de cozinha) e jamais coloques a mão na água e os dedos úmidos dentro do pote de ração (isso a deteriora).
- Pedras calcárias mantém a água alcalina naturalmente.
- Inclui na decoração da aquário algumas pedras grandes arredondadas.
- Deixa ligada a luminária do aquário de 8 a 12 horas por dia.
- As plantas que possuem raízes não devem ser totalmente enterradas no solo (não sufoques a raiz) - Os caramujos são benéficos para o aquário, quando controlada sua taxa de natalidade, que é alta. Eles auxiliam-nos na faxina do aquário . Para a faxina de caramujos marrons (que são comedores de plantas , ampulárias são uma ótima opção, pois são comedoras de ovos e pequenos caramujos marrons e tb. são caramujos).
- Um termostato pode ser usado para controlar a temperatura de vários aquários simultaneamente, desde que haja um sistema de distribuição de água oriunda de uma caixa reservatório, dry wet, ou afim . O maior inconveniente deste sistema é o perigo da disseminação de doenças pelos aquas.
- Observa sempre que algumas espécies de peixes só vivem bem em cardumes - neons, por exemplo.
- Cria hábitos de cheirar a água de seu aquário. Com o tempo você irás identificar quando a água não está boa, só pelo cheiro.
- Habitua os seus peixes a horários fixos de alimentação e do acender e apagar das luzes. Uma boa opção para coordenar isso é o uso de alimentadores automáticos e timers.
- Pedaços de xaxim ou turfa bem lavados são usados para acidificar e amolecer a água naturalmente - podem ser colocados em um sachê feito com meia fina e introduzidos dentro do filtro externo. Existem também no mercado produtos específicos para este fim. Um exemplo disso é o super peat da Sera .
- A temperatura da água deve permanecer entre 24 e 28 graus Cuidado... no inverno, verifica a temperatura da água pelo menos duas vezes por dia. Cuidado com a queda brusca.
- Uma boa opção de alimento para os peixes no inverno é a artemia salina.
- Um peixe albino vive melhor numa intensidade de luz mais moderada
- Compras um peixe... deixando o saquinho fechado boiando na água por vinte minutos, estarás equalizando as temperaturas das duas águas e isso é muito bom para o peixe - Aprende a equalizar também as condições químicas da água... Depois de efectuar o item anterior, abre o saquinho, deita metade fora e com um copinho introduz, em intervalos de 5 minutos, a água que existe no aquário... Ao final de 20 minutos, retira o peixe... Não deites a água do saquinho no aquário...
- Ao comprar um novo peixe, pede ao lojista que acondicione o saquinho plástico num saco de papel escuro... O peixe sentirá assim menos stress.
- Um peixe bonito e com o colorido forte na loja pode chegar a tua casa e perder a cor quando colocado no aquário... Isso é normal e em pouco tempo, ele se adaptando ao aquário, o peixe voltará a mostrar o seu colorido natural.
- Um peixe aparentemente pálido no aquário da loja, pode ficar com o colorido forte em aquários equilibrados(observe isso em Barbus, Tetras, Rodostomus, Rosáceos, etc)
- Um peixe de água ácida pode viver em água alcalina, e vice-versa, desde que a sua adaptação tenha sido de forma gradativa... E depois de bem adaptado, nunca procures colocá-lo de novo, e diretamente, em água ácida, só porque ele é um peixe de água ácida...
- Cuidado... a primeira semana de qualquer peixe num aquário é básica... Se ele se adaptar bem neste período (com água, alimentação e companheiros), ele viverá bem. - Os peixes vivem muitos anos, e não apenas algumas semanas - Se construires ou encomendares um aquário de grande porte, pede para que o vidro do fundo seja bipartido... Isso aliviará a pressão da água no vidro.
- Uma pequena variação (de 3 graus) da temperatura da água durante o dia é boa para os peixes.
- Algas marrons ou plantas amareladas indicam luz (iluminação) insuficiente no aquário.
- Em geral plantas que são compridas e não possuem raízes ficam melhor no aquário se plantadas em tufos (molhos).
- Os peixes mais indicados para o principiante são: GUPPY, TRICOGASTER, COLISA E BETTA, aprenderás muito cuidando deles.
- CORIDORAS, LIMPA VIDROS, CASCUDOS e DOJOS são ótimos peixes para nos ajudar na faxina do aquário, pois apreciam algas e restos de comida. Coloca um grupo deles depois de 30 dias do aquário montado. Não coloques antes.
- Existe uma variedade muito grande de alimentos em flocos... Procura variar os sabores diariamente e usar marcas de excelente qualidade.
- O peixe come praticamente de tudo. Faça sempre experiências com novos alimentos. Começa sempre com um pouquinho e observa - O tamanho do alimento a ser dado aos peixes deve ser proporcional ao tamanho de suas bocas. Não uses pão ou coisa parecida.
O QUE NÃO PODES E NÃO DEVES FAZER E USAR:
- Nunca uses cascalhos pontiagudos no solo (pode ferir os peixes)
- Não coloques o aquário sobre móveis frágeis... Cuidado com acidentes
- Não deixes o aquário próximo a janelas
- Filtro biológico de fundo (alguns aquaristas gostam e recomendam . Pessoalmente acho que é um conceito ultrapassado de filtragem, mas respeito todas as opiniões contrárias).
- Não deixes o compressor próximo aos reactores das lâmpadas fluorescentes.
- Não deixes o pote de comida próximo ao calor da lâmpada.
- Muita aeração na água é má para as plantas.
- Nunca retires o aquecedor ligado da água.
- Não ligues o aquecedor fora da água.
- Não te esqueças de desligar o aquecedor quando fizeres a troca parcial e a água ficar abaixo do nível do mesmo, sob pena dele explodir e contaminar todo o aquário quando a água nova e fria (em relação a ele, que ficou aquecendo fora da água) for reintroduzida.
- Desliga também o filtro externo no acto da troca parcial, pois com a baixa do nível da água ele pode parar de captá-la e trabalhar a seco, podendo queimar a sua bomba.
- A bomba submersa, quando utilizada, deve trabalhar submersa mesmo .
- Nunca troques toda água do aquário, mesmo que esta esteja descansada - isso é para aquaristas bem mais experientes. Cuidado. A água da troca deve ter o mesmo PH da água trocada e em caso de águas alcalinas que possuam amônia, a água a ser introduzida deve ter o pH abaixo de 7,0.
- Evita colocar juntos peixes da água ácida e outros de água alcalina. Normalmente não combinam.
- Nunca utilizes no solo cascalho colorido que solta tinta e é horrível.
- Procura não construir o teu aquário. Se o fizeres, procura verificar as espessuras adequadas .dos vidros a utilizar e pede orientações confiáveis sobre travas.
- Não super-alimentes os peixinhos que ficam em criadeiras. A água ficará muito turva e eles morrerão.
- Em aquários recém montados, espera uns 15 a 20 dias antes de colocar os primeiros peixes no aquário. O ideal seriam 40 dias.
- Não escolhas peixes grandes para habitar o aquário... Prefire os pequenos e filhotes. A adaptação é mais fácil no aquário.
- Não batas no vidro do aquário... Os peixes assustam-se e podem ferir-se.
- Não coloques muito a mão dentro do aquário. Coloqua-a se houver extrema necessidade.
- Não fique modificando sempre a decoração de seu aquário. Procure mexer o menos possível nela. - Procure não fumar ou usar aerosol próximo ao aquário.
- Não te esqueças de colocar uma toalha grande sobre o aquário se fores pintar o ambiente onde o aquário está.
- Nunca dês aos peixes biscoitos, migalhas de pão ou bolachas ou até mesmo alimentos de qualidade duvidosa .
- CARPAS E KINGUIOS vivem bem em tanques externos, pois eles crescem e sujam demais. Evita colocá-los em aquários pequenos, pois arrancarão as plantas e suas fezes poluem a água. KINGUIOS apenas em aquários grandes e com um filtro externo forte.
- Nunca coloques juntos peixes muito grandes com peixes muito pequenos.
- Não super alimentes os peixes com ração. O resto de comida poluirá a água. Evita também dar alimentos em pó, se ainda és iniciante.
- Uma dica importantíssima para verificar se a ração vai poluir o aquário, é retirar um pouco da mesma e olhar dentro do pote. Se houver uma espécie de poeira da ração nas paredes do pote, esta ração é de má qualidade e não deve ser usada em hipótese alguma .
- Não super povoes o aquário. Calcula sempre a porção de 1cm de comprimento de peixe por litro de água (isso não é uma regra - é uma idéia aproximada e não pode ser aplicada a diversos tipos de peixes - pesquisa e pede informação a um lojista de confiança).
- Não coloques plantas de superfície(aguapé, alface d'água, etc.). A luminária queimará as suas folhas e suas raízes são anti-estéticas.
- Não coloques tartaruguinhas e pitus junto com os peixes. Estes animais podem "cutucar" os peixes, principalmente à noite e as tartarugas são verdadeiras máquinas de poluição da água do aquário. Não há peixe que resista .
- Procura não dar peixes vivos aos peixes grandes e carnívoros. Adopta outras opções alimentares (tais como rações específicas e de boa qualidade) e também evitas a possibilidade de estar trazendo doenças para o aquário.
- Os peixes comem tudo que é "bichinho". Evita dar a eles insetos que possuem espinhos, ou ferrão...
Cuidado... - Cuidado com a temperatura da água. Evita deixar a temperatura abaixo dos 20 ou acima dos 30 graus.
- Os peixes comem mais no calor e durante o dia , excepto alguns peixes de hábitos nocturnos, como o são a maioria dos peixes de fundo.
- O movimento da turbulência forte da água não significa necessariamente mais oxigenio para os peixes...
As plantas?... elas precisam de gás carbônico = CO2 - procure pesquisar sobre sistemas de injecção de CO2 se desejas uma vegetação luxuriante.
- Nunca introduzas um medicamento num aquário equilibrado e com muitas plantas. Avalia sempre a gravidade da doença, separa eventuais peixes doentes e trata-os em aquários separados, sem substrato . As plantas morrem em presença de certos medicamentos.
- O carvão activado deverá ser retirado do filtro durante estes tratamentos .
- Não penses que algas no fundo ou pedras esverdeadas são detritos... Isso faz parte do equilíbrio do aquário, desde que de maneira equilibrada .
- Conchas do mar não devem fazer parte da decoração de um aquário da água doce, excepto para determinadas espécies que usam compostos que contem conchas e/ou corais moídos como é o caso dos ciclídeos africanos, que geralmente vivem em águas de ph extremamente elevado .
- Evita deixar o aquário sem tampa de vidro, caso tenhas peixes saltadores(Ex. ESPADA, KILLIFISHES, ETC...)
- Nunca coloques pedras de mármore, halimeda ou dolomita se quiseres montar um aquário de água ácida e nem aquela areia fina à base de mármore .
- Nunca deixes um peixe recém adquirido numa Feira, numa Exposição, apenas num copo de água... Eles não viverão bem... - Apenas vivem razoavelmente em pouca água: BETTA, PEIXE-DO PARAÍSO, TRICOGASTER, COLISA...), mas nem tão pouco e nem tão bem quanto imaginas.
- Nunca penses que comprando dois peixes em um loja, estás a adquirir um casal... Tem sempre num mesmo aquário grupos de peixes da mesma espécie para que casais se formem naturalmente, nem todos são fáceis de identificar o dismorfismo sexual .
- Nunca coloques peixes que nadam muito rapidamente em aquários com pouco comprimento.
- Evita instalar lâmpadas fluorescentes tubulares em aquários altos (com mais de 60cm), pois os raios luminosos destas lâmpadas só são efectivos até 50cm.
- Nunca deixes o aquário muito iluminado (com luz muito forte)... Tem sensibilidade de aquarofilista pois a luz irrita os peixes e tira o seu brilho e sua cor natural.
- Cuidado... Evita fornecer ARTEMIAS SALINAS que adquiris-te vivas e que estão mortas no saquinho.
- Não te esqueças de passar as ARTEMIAS vivas em água corrente (usa uma peneira) antes de fornecê-las aos peixes. - Nunca compres um peixe que vive bem em cardumes, sozinho. Compra no mínimo 5.
- Não coloques sal no aquário que possui TETRAS, CORIDORAS ou CASCUDOS - eles são sensíveis a este componente.
- Nunca tragas de uma loja muitos peixes acondicionados num único saquinho.
- Evita guardar um pouco de ARTEMIA viva para o dia seguinte. - Se na loja escolheres para comprar peixes que estão em diferentes aquários de exposição, pede ao lojista que coloque os peixes escolhidos em saquinhos diferentes.
- Não compres peixes de lojas onde coexistam peixes doentes.
- Alguns peixes não devem ser colocados como primeiros habitantes do aquário: TRICOGASTER, BEIJADORES...
- Não coloques muitos enfeites no aquário, principalmente os que soltam bolhas. - Os peixes dormem... não se assuste se à noite, com a luz apagada, os peixes estiverem parados, próximo ao solo.
- Não trates as plantas como "matinho" achando que elas devem ser repostas periodicamente... Elas crescem muito e vivem muito...
- Não uses muitas Plantas artificiais no aquário
- Não adquiras aquários com altura maior que 80cm... Dificultará a manutenção, pois o teu braço não alcançará o fundo do aquário - é um verdadeiro elefante branco.
- Não ilumines o aquário com lâmpadas coloridas (verde, azul, vermelha, etc) ....ISSO IRRITA OS PEIXES!
- Cuidado...caso separes algum peixe doente para posterior tratamento, usa a mesma água em que o peixe estava).
- Não compres um peixe sem conhecê-lo bem... pelo menos o nome, compatibilidade e necessidades dos teus peixes.
- Não alimentes os peixes à noite, com a luz apagada...
- NUNCA - JAMAIS LAVES UM AQUÁRIO - estarás destruindo toda a colônia de bactérias nitrificantes existentes no mesmo .

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Manual do Guppy


Aqui fica um link para um manual bastante completo sobre o nosso peixe favorito. Entra e faz o download.


http://www.mediafire.com/?2g1z7zwhk1a

Ficha Prática do Guppy

GUPPY OU LEBISTE (Poecilia reticulata)





Origem: América Central.
Comprimento máximo: macho 3 cm e fêmea 6 cm.
Reprodução: ovovivíparo.
pH: alcalino (7,2 a 7,5).
Temperatura: 24 a 28 ºC.
Aquário: médio com plantas.
Alimentação: Onívora - Tubifex, larvas de mosquito, drosófilas, artêmia salina, dáfnias, infusórios, microvermes, enquitréias, minhocas de jardim, patê etc.
Comportamento: pacífico, mantê-lo com peixes pequenos e pacíficos.

Ágeis e multicoloridos, os Lebistes são utilizados em aquários desde meados de 1900. Entretanto, sua utilização não se limita apenas a esta. Devido ao seu hábito voraz de se alimentar com larvas de insetos, os Lebistes são utilizados em países do Oriente como ferramenta de controle biológico. Já foram utilizados também no Brasil, na década de 30, para combater os transmissores da Malária e da Febre Amarela. São também utilizados em laboratórios, nos experimentos ecotoxicológicos, genéticos, comportamentais e reprodutivos.

Origem:Os Lebistes são originários da América do Sul e Central, mais precisamente de estuários localizados em Barbados, Trinidad Tobago, Venezuela, Guianas e porção norte do Brasil. Conhecidos também por Peixe Arco-íris, Barrigudinho, Bandeirinha, Sarapintado e Guppy encontram-se hoje espalhados por todo o mundo. Antes de ser classificado cientificamente como Poecilia reticulata, o Lebiste já foi conhecido por Girardinus guppyi e Lebistes reticulatus. O nome Guppy é na verdade o sobrenome de Robert J.L Guppy que foi homenageado pelo naturalista inglês Guenther, que recebeu de Robert os primeiros peixes coletados na América Central no ano de 1860. Já o nome popular Lebiste deriva do gênero Lebistes ao qual pertencia.
Pertence a família dos Poecilidae (Poecilídeos) da qual também fazem parte Molinésias, Platys e Espadas.
É um peixe de fácil manutenção sendo recomendado para todos os tamanhos de aquários desde que obedecidas suas necessidades básicas como pH e temperatura. É interessante observar o número de fêmeas que deve ser maior que o de machos, na razão de 3:1.

Reprodução:As fêmeas desta espécie não depositam ovos, mas sim dão à luz filhotes prontos. São classificados então como peixes ovovivíparos. Erroneamente são por vezes citados como peixes vivíparos, mas há uma grande diferença entre estas duas formas de reprodução. O termo vivíparo está relacionado com embriões que são nutridos diretamente pela mãe através de uma estrutura semelhante ao cordão umbilical. É o que acontece, por exemplo, com algumas espécies de Tubarões. Já o termo ovovivíparo refere-se a embriões nutridos pelo saco vitelínico, envoltos por uma membrana (ovo) que se desenvolvem no interior da mãe. De maneira geral seria como “chocar” os ovos internamente. Os filhotes se desenvolvem então dentro destes ovos que ficam guardados a salvo no interior da mãe. Quando o desenvolvimento se completa, a casca se rompe e o filhote, alevino, é expelido pela mãe.
Os machos diferenciam-se das fêmeas pela cauda, que é bem maior, pela coloração mais intensa, e pela presença do gonopódio, uma estrutura semelhante a um pequeno tubo localizada na região ventral. Esta estrutura possibilita a transferência dos gametas masculinos para dentro da fêmea, possibilitando a fecundação interna. Já as fêmeas apresentam uma mancha na parte ventral, próxima a cauda, que se torna mais escura quando os ovos começam a se desenvolver. Quando os filhotes estão a ponto de nascer esta mancha torna-se mais “baixa”, a fêmea apresenta-se muito barriguda e com a respiração ofegante.
Para reproduzi-los é aconselhável 3 a 5 fêmeas para cada macho. Esta espécie, assim como acontece com outros peixes ovovivíparos, não apresenta cuidado parental, ou seja, os pais não cuidam dos filhotes após o nascimento. Além disso a permanência dos pequenos alevinos junto com exemplares adultos, inclusive a própria mãe, pode ser desastrosa, já que tendem a ser devorados. Em função disso as fêmeas grávidas podem ser postas em criadeiras individuais onde, logo que nascem, os filhotes são separados da mãe. Recomenda-se um aquário com cerca de 15 a 20 litros de água e que contenha plantas naturais como Elodea, Cabomba, Sagitária e a Samambaia d’água, para que os alevinos, ao passarem por entre as frestas da criadeira, possam se refugiar. O período de gestação varia de 20 a 30 dias. Os filhotes devem ser alimentados com alcon Alevinos durante o primeiro mês de vida.
Aos dois meses de idade já é possível a diferenciação de machos e fêmeas, que estão prontos para a reprodução. Nesta fase já podem ser alimentados com outras rações como alcon Guppy, alcon Basic e alcon Gold Spirulina Flakes. Para um desenvolvimento mais adequado, é recomendado permitir a reprodução somente a partir dos quatro meses de idade.
Uma característica bastante interessante é a capacidade que as fêmeas têm de armazenar o esperma dos machos por um longo período, podendo ter mais de 3 gestações seguidas sem a presença do macho para nova fecundação. Esta característica é muito importante quando se pretende fazer cruzamentos específicos entre machos e fêmeas escolhidos previamente. Para obter o resultado esperado neste cruzamento, é necessário primeiramente “limpar” a fêmea, ou seja, mantê-la sem contatos com machos durante um período de 6 meses, para que ela acabe com um possível estoque de esperma de outro macho.
Para o sucesso da reprodução devem ser observadas boas condições ambientais, como temperatura em torno de 28 ºC e pH próximo a 7,2.
Com os devidos cuidados e um pouco de atenção diária o Lebiste certamente deixará seu aquário mais alegre e muito colorido.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Algumas linhagens de Guppys


Descobre diferentes linhagens de Guppys.
Vou adicionando links novos.
vê em fotos...aproveita também o resto do site que tem muita informação útil.
quase todas as linhagens que conheço